Severino Dantas, o bravo comunista

Personagens que fizeram e que fazem a história de Cajazeiras

COISAS DE CAJAZEIRAS
SEVERINO DANTAS / FOTO: CAVALCANTE JÚNIOR

O ex-vereador e funcionário público aposentado Severino Dantas comemora aniversário no dia 1/09. É casado com Ana Ricarte Dantas. Bravo comunista egresso do Partido Operário Revolucionário Trotskista (PORT), seção brasileira da Quarta Internacional Socialista Posadista (PORT-P), fundado em 1955, onde o mesmo realizou intenso trabalho para o aliciamento e recrutamento de estudantes, camponeses e outras classes, em Antenor Navarro (atual São João do Rio do Peixe), Campina Grande e João Pessoa, na Paraíba.

No ano de 1956, saiu da Comunidade Bálsamo, no município de Antenor Navarro, com o objetivo de estudar no Seminário dos Franciscanos, localizado em Triunfo (PE). Em seguida, em 1962, mudou-se para João Pessoa, ocasião em que ingressou nos movimentos estudantis e em seguida nas Ligas Camponesas lideradas no Nordeste pelo advogado e ex-deputado federal Francisco Julião Arruda de Paula, sendo seus companheiros todos integrantes do Partido Operário Revolucionário (Trotskista) no ano de 1964.

Com o advento do Golpe Militar, Severino Dantas foi compelido a abandonar as atividades estudantis, bem como, seu emprego no Movimento de Alfabetização Popular – Método Paulo Freire, extinto pelo citado Golpe. Depois do Golpe Militar de 1964, juntamente com outros companheiros, passou a viver na clandestinidade realizando vários eventos como o objetivo de rearticular o movimento popular das Ligas Camponesas e os movimentos estudantis através do famoso “Grupo dos 5” e dando continuidade ao movimento nacionalista encabeçado por Leonel Brizola.

Em 1965 mudou-se para Fortaleza (CE), onde, junto com outros companheiros fundou uma Secção Brasileira da Quarta Internacional, mas permaneceu naquele estado somente até dezembro de 1965, pois o grupo havia sido descoberto pela polícia, que passou a prossegui-Io, e por segurança, partiu para São Paulo para participar de cursos de formação política e tentar uma vaga no mercado de trabalho.

Em janeiro de 1966, Severino Dantas deixou a cidade de São Paulo com destino a Porto Alegre (RS) e de lá para Montevidéu, capital do Uruguai e em seguida, de barco, foi para a Argentina, onde, após viver clandestinamente alguns anos, recebeu do governo argentino autorização de permanência naquele país.

Por conta da perseguição sofrida por ocasião das operações militares, como não o localizava quem sofria as consequências era seu pai, Manoel Guerra Dantas, que por duas vezes fora preso e levado para a Superintendência da Polícia Federal em João Pessoa para que confessasse onde seu filho poderia ser encontrado.

Em 10 de maio de 1980, participou, na condição de ex-exilado político de um ato público contestatório, realizado na Catedral Metropolitana de João Pessoa, como um dos oradores.

Em 1984, era membro do Diretório Regional do PT no Estado da Paraíba. Em 1986, disputou as eleições para o cargo de deputado federal pelo PT.

Eleito no ano 2000, Severino Dantas foi vereador em Cajazeiras por quatro mandatos consecutivos em Cajazeiras, até 2016, pelo Partido dos Trabalhadores.

COM INFORMAÇÕES DO GAZETA DO ALTO PIRANHAS

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *