Praça Coração de Jesus

Eu conheço cada palmo desse chão

Esse pequeno e antigo logradouro de Cajazeiras começou a se organizar com a expansão da zona comercial da cidade, em derredor da capelinha existente, naquele local, sob o patrocínio do Sagrado Coração de Jesus.

Pequeno templo religioso, muito ligado à vida da cidade, foi demolido, em 1936, pelo Prefeito Joaquim Gonçalves de Matos Rolim, para dar espaço à praça, já então bem movimentada, como ponto de automóveis de aluguel.

Naquela antiga capelinha, foi sepultada Mãe Aninha, a 23 de agosto de 1854, que, posteriormente, teve seus restos mortais transladados para o monumento do Padre Rolim, inaugurado a 22 de agosto de 1937.

Naquele trecho da Rua Padre José Tomaz que confronta com a praça, o comerciante José Marques Galvão construiu um dos melhores edifícios da cidade, onde, por muitos anos, funcionou a Casa Ipiranga, de propriedade do comerciante Álvaro Marques Galvão, filho daquele benemérito amigo de Cajazeiras.

Nele esteve sediada a antiga Mesa de Rendas da cidade, que ocupou todo pavimento superior daquele imponente prédio, que teve a sua construção confiada à reconhecida habilidade profissional do Mestre José João Soares, responsável pela construção de outros imponentes empreendimentos imobiliários da cidade.

FONTE:

LIVRO ‘RUAS DE CAJAZEIRAS’, DE DEUSDEDIT LEITÃO

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *