Cônego João Cartaxo Rolim

Personagens que fizeram e que fazem a história de Cajazeiras.

O Cônego João Cartaxo Rolim nasceu ao 24 de dezembro de 1918, na cidade de Cajazeiras (PB), à rua Amélio Estrela Dantas Cartaxo, nº 113, filho de Amélio Estrela Dantas Cartaxo e Josefa Cartaxo Rolim.

Fez o curso primário na escola pública de Cajazeiras e no Seminário Diocesano da cidade de Crato-CE. O curso ginasial foi feito no Seminário Arquidiocesano na cidade de João Pessoa.

O Seminário maior, que compreende os cursos de filosofia e teologia, concluiu no Seminário Central Arquidiocesano da cidade de Fortaleza-CE. Recebeu a ordenação sacerdotal, na Igreja da Prainha, no Seminário de Fortaleza, das mãos do Arcebispo Dom Antonio Almeida Lustosa, no dia 5 de dezembro de 1943.

Exerceu a função de Vigário Cooperador, na Paróquia de nossa Senhora da Piedade em Cajazeiras, de 1944 a 1945; e, na Paróquia da Guia, em Patos, de 1946 a 1948; Vigário na Paróquia de Santo Antonio, em Bonito de Santa Fé, de 1949 a 1950; e, na Paróquia de Nossa Senhora dos Remédios, na cidade de Catolé do Rocha, de 1951 a 1956.

Vigário inamovível da Paróquia Bi-secular de Nossa Senhora dos Remédios, na cidade de Sousa, a partir de 09/02/1957.

O Cônego João Cartaxo é o último da série dos vinte e dois vigários da Paróquia Nossa Senhora dos Remédios, quando a Paróquia compreendia todo o território do antigo município de Sousa. Foi o segundo pároco, que permaneceu mais tempo na cidade de Sousa.

A maior obra pastoral de um vigário na sua paróquia, é a evangelização. O Cônego João Cartaxo procurou dar prioridade a evangelização em toda sua paróquia, tanto na cidade como na zona rural, que compreendia o antigo município de Sousa, com dezesseis capelas. Para ajuda-lo neste trabalho apostólico, buscou a ajuda de Bispos, Sacerdotes e religiosos, inclusive os grandes Missionários Frei Damião e Frei Fernando.

Várias obras marcaram o seu paroquiato em Sousa. Em razão do aumento da população e do desenvolvimento da Paróquia, o Vigário colaborou com Dom Zacarias Rolim de Moura, Bispo da Diocese de Cajazeiras à época, na criação das seguintes novas paróquias: Bom Jesus Eucarístico Aparecido de Sousa, Santa Ana, no Bairro da Estação, Nazarezinho, São José da Lagoa Tapada, Santa Cruz e Lastro. Reformou a Casa Paroquial, tornando-a uma residência à altura da importância da Paróquia de Nossa Senhora dos Remédios e da Diocese.

Realizou os trabalhos internos e externos da Igreja Matriz dos Remédios, tornando-a, um dos mais bonitos e majestosos templos católicos do Estado da Paraíba. Construiu a Igreja Matriz de Senhora Santa Ana, no Bairro da Estação e as capelas de Casinha do Homem e da Malhada da Pedra.

Reformou o prédio, que a família Mariz doou a paróquia dos Remédios, para funcionar um colégio sob a orientação das freiras e adaptou-o dentro das exigências burocráticas do Ministério da Educação, adquirindo todo o mobiliário escolar e a nomeação de seis professores, junto ao Governador do Estado da época, Dr. Pedro Moreno Gondim.

Obteve junto a congregação de Santa Tereza, da Diocese de Crato, as freiras para assumirem a direção do Ginásio de Nossa Senhora Auxiliadora e no dia 23 de março de 1958, fez a inauguração do Ginásio Nossa Senhora Auxiliadora, a maior aspiração e desejo das famílias sousenses. Construiu o primeiro andar sobre a sacristia da matriz dos Remédios, onde funciona a Escola Paroquial “Cônego João Cartaxo Rolim”, fundada a 5 de dezembro de 1983, exclusivamente para as crianças carentes da Paróquia.

Sousa é possuidora da tradição Mariana, belíssima e histórica, 274 anos de culto á sua Padroeira, Nossa Senhora dos Remédios. O templo católico é todo edificado em terras do seu patrimônio. A propriedade Jardim do Rio do Peixe foi uma doação ao patrimônio dos Remédios por Garcia Dias D’Ávila e Inácia de Araújo Pereira, fidalgos da Casa da Torre da Bahia, em 23/10/1739.

O Cônego João Cartaxo promoveu grandemente a festa da Padroeira Nossa Senhora dos Remédios, que hoje é um evento religioso, social e turístico, considerado um dos  maiores acontecimentos sócio-religiosos do Estado da Paraíba.

Segundo consta nos arquivos da Diocese de Cajazeiras, até a sua aposentadoria, Padre João celebrou 8.765 casamentos e 31.235 batizados, nas diversas paróquias que administrou. Sua vida sacerdotal teve início no dia 9 de fevereiro de 1957, por nomeação do Bispo Dom Zacarias Rolim de Moura.

Faleceu aos 94 anos na noite do dia 16 de maio de 2013 por volta das 22h15  no Hospital Santa Teresinha, em Sousa, onde ficou internado 22 dias, vítima de uma complicação no aparelho respiratório devido a uma grave pneumonia que adquiriu.

O seu corpo foi sendo velado na Igreja de Nossa Senhora do Rosário, próxima ao Colégio Nossa Senhora Auxiliadora em Sousa, do qual o Padre João foi um grande benfeitor e incentivador da sua instalação.

A Missa Exequial aconteceu no dia 17 de maio de 2013 às 16h30 também na Igreja do Rosário, local onde, logo em seguida, foi sepultado.

O Cônego João Cartaxo Rolim deixa para todos uma mensagem que inquieta, que faz refletir, que questiona o entusiasmo sacerdotal de uma vida iluminada por Deus e totalmente voltada para o serviço dos irmãos cristãos.

Foi um orientador de consciências, um pastor cheio de esperança, um Padre feliz, liberto, bom, pacífico, santo e ainda muito útil à causa do cristianismo católico. Toda essa mensagem fala mais alto, dizendo: “Vale a pena ser Padre!”.

FONTES:

JORNALISTA CHICO CARDOSO E PASTORAL DA COMUNICAÇÃO DA DIOCESE DE CAJAZEIRAS

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *