Câncer: segunda doença que mata mais brasileiros


Clemildo Brunet

É uma realidade que ninguém pode fugir. O câncer tem sido a segunda causa morte por doença no Brasil. A primeira está associada a doenças cardiovasculares; Processo patológico definido com um quadro característico de Sinais e sintomas. Pode afetar o corpo inteiro ou quaisquer de suas partes. Sua etiologia, patologia e prognósticos podem ser conhecidos ou desconhecidos. Por outro lado, mais de 12 milhões de pessoas a cada ano recebem um diagnóstico de câncer e 7,6 milhões morrem da doença. A OMS – Organização Mundial de Saúde estima que no ano de 2030 sejam 27 milhões os casos de incidentes de câncer e 17 milhões de mortes pela doença.

Na Paraíba, o perfil de mortalidade por câncer também assume a tendência nacional e aparece como a segunda causa de morte no Estado, ficando atrás apenas das doenças do aparelho circulatório. A mortalidade por câncer na Paraíba apresentou um aumento de 37 % em 2010, tendo como base o ano 2001 – ou seja, em 2001 foram 1.162 óbitos; em 2010, 3.135. Em dez anos (2001 a 2010), o total de paraibanos que faleceram vitimados pelo câncer é de 22.776, sendo 11.672 homens e 11.104 mulheres.

Desde a última segunda feira (9) que Assembleia Legislativa da Paraíba vem realizando a semana Estadual de Prevenção do Combate ao Câncer de Próstata, foi realizada uma Sessão Especial no plenário da casa Epitácio Pessoa. Terça feira (10) em Campina Grande com apoio do presidente da Câmara de Vereadores, Nelson Gomes, e do prefeito municipal, Veneziano Vital do Rêgo. A semana Estadual de Combate e Prevenção ao Câncer de Próstata em nosso Estado foi criada por propositura do Deputado Ricardo Marcelo atual Presidente do Poder Legislativo Paraibano, como forma de chamar a atenção para os cuidados do homem com a saúde. A campanha será levada esta semana ainda para as cidades de Guarabira, Patos, Sousa e Cajazeiras.

É necessário que estejamos atentos aos aspectos educativos e sociais com que as nossas autoridades estão advertindo a população no sentido do combate a doença, que pode ser evitada com a prevenção e o diagnóstico precoce. O Dia Mundial de Combate ao Câncer comemorado em 08 de abril, data essa criada pela (OMS) Organização Mundial de Saúde, tem o fim específico de chamar a atenção de nações, líderes governamentais, gestores e do público em geral, para o crescimento dos índices da doença, o tratamento e, principalmente, para a prevenção do câncer.

A ciência avançou muito e o câncer nos dias atuais é uma doença tratável caso seja diagnosticada a tempo em sua fase inicial, pois a endemia recebendo cuidados clínicos e bem acompanhada, gera qualidade de vida no paciente. Veja bem:

Muitos anos A.C. a Bíblia relata que o rei Jeorão de Judá, foi acometido de uma doença terrível. Diz o texto bíblico: “Depois de tudo isto, o Senhor o feriu nas suas entranhas com enfermidade incurável. E aumentando esta dia após dia, ao cabo de dois anos, saíram-lhe as entranhas por causa da enfermidade, e morreu com terríveis agonia”… 2 Crônicas 21:18 e 19. Quando li esse texto a primeira vez fiquei impressionado com o relato e imaginei que esta enfermidade só poderia ser câncer.

Câncer de que estamos falando segundo Aurélio, é a designação genérica de qualquer tumor maligno (q. v.); blastoma maligno, neoplasma maligno. Lentamente o câncer se instala na pessoa, as células do corpo humano sofrem os efeitos que provocam mudanças em alguns de seus genes. Nesse meio tempo as células se encontram, geneticamente alteradas, mas não é possível ainda se detectar clinicamente um tumor, encontra-se preparadas ou iniciadas para avançar para um segundo estágio.

Vêm então, os oncopromotores agentes que atuam na célula alterada que tendo sido iniciada, se transforma em célula maligna de modo lento e gradual. Para essa ocorrência de transformação é necessário um longo e continuado contato com o agente cancerígeno promotor. Muitas vezes os agentes promotores registram o processo de suspensão nesse estágio e só reaparecem provocados por causas e efeitos manifestos em alguns tumores. A nicotina contida no cigarro é a mais conhecida aumentando em 12 vezes as chances de câncer de pulmão.

O terceiro e ultimo estágio ocorre com a multiplicação descontrolada e irreversível das células alteradas. Aí o câncer já está instalado e evolui até o surgimento das primeiras manifestações clínicas da doença. É fato que em nosso organismo existe mecanismo de defesa natural protegendo as agressões advindas de diferentes agentes entrando em contato com estruturas divergentes. No decorrer da vida, produzem-se células alteradas, e o mecanismo de defesa faz com que haja interrupção do processo, com sua eliminação ulterior.

Na verdade para pessoa que visita o médico e toma conhecimento que está com câncer não é fácil, pois é natural pensar que isso só acontece com os outros, depois fica conformado e procura conviver com a doença, afinal, é só lembrar que não estamos aqui pra semente.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *