A Faisqueira do Gazeta

Coluna semanal do jornal Gazeta do Alto Piranhas

AUMENTANDO O ROMBO A maioria dos senadores aprovou o aumento para a Corte Suprema do País. O rombo de R$139 bilhões, segundo os mais otimistas, com o efeito cascata, vai aumentar somente mais R$ 6 bilhões. Os bolsos das togas vão estufar com o dinheiro suado do povo brasileiro.

GUERRA E PAZ O deputado eleito, Júnior Araújo, pediu paz ao também deputado reeleito, Jeová Campos, mas dias depois mandou uma metralhadora carregada de bala pra cima, do anunciado candidato a prefeito de Cajazeiras, vereador Marcos Barros, cujo padrinho é Jeová Campos. A reação foi imediata: as balas foram devolvidas e a paz foi pro beleléu.

INCOMODANDO O lançamento de Marcos Barros, pelo deputado Jeová Campos, como candidato a prefeito de Cajazeiras, teria incomodado tanto, que começaram as tentativas de desconstruí-la e ao mesmo tempo em que buscaram atingir a sua vida pessoal e fez até com que dentro do poder legislativo mirim surgisse mais um que pretende ser prefeito de Cajazeiras: Jucinério Félix. Quais as razões mais profundas que o levaram também a esta disputa?

BEBER, CAIR, LEVANTAR Uma cidadã postou em uma rede social que um coveiro de Cajazeiras queria sepultar um parente seu de “banda”, fato inusitado para os atuais dias. Ela o acusou ainda de está completamente embriagado e pediu as providências. O difícil é encontrar um professor universitário, um juiz, um promotor ou mesmo um deputado ou prefeito que se disponha a ser coveiro da cidade. Ruim com ele, pior sem ele. Viva os coveiros da cidade!

ROMBO x SALDO O rescaldo das eleições não são fáceis de serem limpos: Haddad, que saiu derrotado das eleições, está pedindo aos seus amigos e correligionários uma ajuda financeira para pagar o restante dos débitos de sua campanha, enquanto Bolsonaro, o eleito, está com dinheiro de sobra em sua conta e já prometeu doar a Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora (MG), onde foi atendido e salvo depois da facada. Haddad é professor universitário, deve ter um salário melhor e Bolsonaro tem origem na caserna, acostumado a pouca ração, comentou um atento eleitor.

NÃO SE MISTURE Quem assiste Chaves, no SBT, conhece muito bem Dona Florinda, que nas cenas, vendo o seu filho ser espezinhado, dá uma porrada em Seu Madruga e diz a Kiko: “vamos meu filho, não se misture com esta gentalha”. Uma cena quase idêntica teria acontecido entre um auxiliar do prefeito Zé Aldemir e um reduzido número de opositores, que vendo o prefeito ser atingido, gritou com todos os pulmões: “vamos minha amiga, não devemos nos misturar com esta gentalha”. Ô Cajazeiras de mel.

NADA DE INDEPENDÊNCIA Quando o governo acordou o carro já descia a ladeira, sem freios, carregado de pólvora. Assim está o embate na disputa de quem vai sentar na cadeira de presidente da Assembléia da Paraíba. Buba ou Adriano? Com a intervenção do governo será que o jogo vai ser zerado?

IPAM O instituto de previdência do município de Cajazeiras não vive os dias melhores de sua vida e faz parte dos milhares em todo o país que possuem dívidas astronômicas e impagáveis. Com o novo desenho republicano que pretende adotar a partir de 2019, o presidente Bolsonaro, poderá todos eles, encontrar uma luz no fim do túnel.

AS SOBRAS O prefeito de Cajazeiras, médico José Aldemir, nos últimos dias tem tomado café em Cajazeiras, almoça em João Pessoa e janta em Brasília e não tem largado o pé de Aguinaldo Ribeiro e muito menos de Michel Temer, em busca de R$6 milhões, para tapar alguns buracos nas contas da prefeitura. Se conseguir, voará em céu de brigadeiro nos últimos dois anos de sua administração. Qualquer folginha corre pra rezar nos pés de Nossa da Piedade.

LIBERADO Nestas suas andanças por Brasília, Zé Aldemir, conseguiu liberar mais de um milhão de reais, relativo à primeira medição dos trabalhos realizados pela empresa que está asfaltando as ruas de Cajazeiras. Não se espante se a qualquer momento ela reapareça para fazer o restante das seis ruas do contrato celebrado com a Caixa Econômica Federal.

CAUSA E EFEITO O prefeito Zé Aldemir sabia que sua decisão de romper com o vereador Jucinério Félix iria lhe trazer alguns dissabores, mas afeito as criticas, já teria dito a alguns amigos que não ia dar muita atenção e que iria adotar o ditado popular: “os cães ladram e a caravana passa”. O vereador Jucinério ocupou a tribuna esta semana para “detonar” a administração sobre uma rifa que uma agente pública teria feito para ajudar uma creche. Um aliado de Zé Aldemir comentou: um assunto de alta relevância.

VIA GAZETA DO ALTO PIRANHAS

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *